• Equipe Lettre

Como a Editora Lettre nasceu?

Atualizado: Jul 6


Olá, Família Lettre!

No post de hoje, vamos falar sobre como a Editora Lettre "nasceu".

Bem, a primeira pergunta que muitos de vocês devem se fazer é: por que criar uma editora? A resposta pode ser simples para alguns e um pouco mais complicada para outros.

Mas, para que vocês entendam o porquê, antes, é preciso que saibam o que levou a essa tomada de decisão. Então, quem vos fala neste momento sou eu, Ingrid Sousa - Autora e Fundadora da Lettre.

Todo autor, quando conclui sua obra, passada a primeira euforia do momento, pensa: como posso fazer para que o meu livro chegue aos leitores? E é a partir daí que começamos a procurar os métodos de publicação.

Muitos optam por uma publicação virtual, mas outros, assim como eu, sonham em ter seus livros em versão física. E como podemos alcançar esse sonho? Enviando nossas obras para as Editoras.

Mas a qual editora devo confiar o trabalho da minha vida? Foi essa a pergunta que me fiz e, então, comecei a pesquisar as editoras que se encaixavam no gênero do meu livro. Procurei ver os valores que vendiam os livros, as capas, autores que já haviam publicado com as mesmas e, claro, fui por indicação.

Então, dentre várias opções, optei por enviar o meu livro para aquelas que eu sempre via lançamentos sendo comentados no meio literário e que conhecidos me indicaram.

No início, foi tudo mil maravilhas, o suporte prestado até o fechamento do contrato foi excepcional. Tiravam minhas dúvidas, eram atenciosos, sempre estavam disponíveis. A Editora que eu havia escolhido ainda me enviou, com o orçamento, um feedback sobre meu original e fiquei impactada com as observações que foram feitas sobre ele, que nem mesmo eu, como autora, havia percebido e foi isso que me fez fechar o contrato. As informações que eu tinha sobre a tal Editora eram:


1- Era uma Editora relativamente grande e eu já havia visto várias obras dela por meio de outros autores (ponto positivo);

2- O valor não era muito superior ao que eu esperava. Claro que não era um valor barato, mas nem de longe foi o que havia orçado em outras editoras, então estava dentro do que imaginei que seria o valor de mercado (ponto positivo);

3- O feedback do meu livro foi incrível então o tratamento que dariam a ele seria melhor ainda (ponto mais que positivo);

4- O atendimento prestado foi excepcional (ponto positivo).


A partir do momento que fechei o contrato com a dita cuja, porém, foi só ladeira abaixo. Toda vez que eu fazia uma pergunta, a resposta era ríspida e hostil; sempre que fazia cobranças do que havia sido acordado no contrato, era mal respondida e não tinha êxito; não recebi o meu contrato de publicação assinado por eles e, o pior de tudo, passei seis meses esperando que fizessem alguma coisa — qualquer coisa — no meu livro e nunca fizeram. O prazo dado era de 6 meses para entregar o livro pronto e publicado e sempre que eu cobrava que meu livro já estava com eles há determinado tempo e que nada estava sendo feito (e que eu estava pagando por um serviço que não estava sendo prestado), me informavam que estavam dentro do prazo e que eu era muito impaciente. Isso sem contar as mentiras que inventavam para não estarem fazendo o que deveria ser feito.

Isso tudo me deixou extremamente descontente, pensei “poxa, mas que falta de respeito, passei um ano escrevendo esse livro, com várias dificuldades, para tratarem a mim e à minha obra dessa maneira?”

Foi então que a Lettre surgiu, do desejo de fazer diferente, de levar ao autor o melhor que uma equipe editorial tem a oferecer, com um serviço de qualidade, pontual e com toda a assistência que o autor merece e tem direito. Mas, além disso, também queremos dar atenção e apoio ao nossos leitores e parceiros, que leem nossas obras, comentam, indicam e que fazem com que a Editora cresça cada vez mais.

É importante lembrar que não importa o quanto você procure e pense estar fazendo certo, se a pessoa que está ali para te prestar um serviço não tem caráter nem respeito por você e sua obra, infelizmente, você corre um grande risco de cair em armadilhas.

O meu conselho, como autora é: converse com os autores da Editora, com os parceiros, pergunte como são tratados, como foi a experiência de cada um e, principalmente, se têm pretensão de publicar outras obras com a mesma Editora, pois uma pessoa que é tratada com respeito e dignidade não terá motivos para denigrir a imagem de ninguém.

Esse post foi um mix de tudo, mas, principalmente, uma vontade de fazer com que você, leitor, possa cada vez mais nos conhecer e se sentir próximo de nós, assim como nós queremos, cada vez mais, estar próximos de vocês.

0 visualização

Endereço

SHSN, Chácara 96,

conjunto "e", Lote 57

Brasília - Distrito Federal

Shop

Social

Seja o primeiro a saber!

Inscreva-se no nosso newsletter 

© 2020 by Editora Lettre | CNPJ: 34.892.350/0001-21